Buscar

UnB Ciência - Nanotecnologia intensifica efeito de óleo de pequi em células de câncer de mama

Pesquisa da UnB mostra, de forma inédita, que nanoformulação à base do óleo reduz proliferação de células tumorais e que as nanopartículas são mais estáveis, mais resistentes e com menor toxicidade para células não tumorais.

Potencial terapêutico do óleo de pequi é inegável: pesquisadores do LCBNano (FCE/UnB) estudam como a nanotecnologia pode contornar o caráter hidrofóbico do produto. BIOTECNOLOGIA - Marina Simon - 30/07/2020


O cerrado é considerado a savana mais rica do mundo: detém 5% das espécies de todo o planeta e 30% da biodiversidade do Brasil. Além disso, no bioma, existem mais de 220 espécies de uso medicinal. O pequi e o buriti são algumas delas. O pequi é um fruto proveniente do pequizeiro (Caryocar brasiliense) muito utilizado na culinária das regiões Centro-Oeste e Sudeste e parte do Nordeste. A polpa do fruto é rica em carotenos, antioxidantes e vitaminas, com importantes propriedades para a saúde humana. O potencial terapêutico do óleo de pequi é portanto inegável. Porém, parte dos compostos bioativos presentes no óleo apresenta uma limitação para o seu uso na biomedicina: ele é hidrofóbico, ou seja, não é solúvel em água. Isso reduz as possibilidades de vias de administração e interação com células e tecidos. Não é possível, por exemplo, injetar o óleo de pequi diretamente no sangue do paciente, que é principalmente aquoso.

Professora Graziella Anselmo Joanitti é coordenadora da pesquisa e do Laboratório de Compostos Bioativos e Nanobiotecnologia (LCBNano-FCE/UnB). Foto: Arquivo pessoal.


Matéria Completa - UnB Ciência #LCBNano #UnB #UnBCiencia #Nanobiotecnologia #Laboratorio #CancerDeMama #Pequi

logo_unb-300x276.png

LCBNano - Universidade de Brasília (UnB) - Campus Ceilândia (FCE)

Centro Metropolitano - Conjunto A - Lote 01, Brasília - CEP: 72220-900 

Brasília – DF – Brasil 

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone YouTube